18 de fev de 2011

Um salmo de presente...

Eu desejo que a palava do Senhor seja a lâmpada para as suas decisões e que seja a luz dos seus caminhos. Quando estiver no escuro sem saber para onde seguir, eu espero que ela te ilumine, que você possa sentir a vontade de Deus acontecer na sua vida e que ouvir a Sua palavra seja o seu maior prazer. Se isso lhes acontecer, então não tenho mais nada a lhe desejar...

Deixo com vocês uma rosa e um salmo, em forma de canção. Paz...!

27 de jan de 2011

Um "Insensato Coração"? Eu dispenso!

Exercitando a capacidade que todos nós temos de desenvolver boas críticas daquilo que vemos e ouvimos, sobretudo, nos meios de comunicação que aí estão, resolvi escrever este post. Gosto de assistir novelas quando não tenho mais nada de interessante para fazer, mas admito que nos dias de hoje, este precisa ser um exercício minuscioso, já que temos a necessidade de filtrar o que vemos.

Falando em filtro, acredito que não exista nenhum folhetim que hoje esteja no ar, na rede Globo de Televisão, que dispense a minha maior observação. Um exemplo claro disso é a mais nova novela do seu horário nobre. A novela intitula-se "Insensato Coração" e como nenhuma novela vai ao ar, sem que seus produtores ou idealizadores queiram vender o que acreditam e disseminar conceitos, a tal novela citada tenta me convencer de que parece ser normal querer um coração assim meio insensato...

Sou a favor da felicidade em primeiro lugar e que se você considera estar em lugares inadequados, exercendo atividades que não lhe dão satisfação, ou então convivendo com pessoas que não te edificam, deve mesmo procurar algo que lhe dê mais sentido; o que eu não sou a favor é de ver o que tem sido mostrado na tal novela. Então um coração insensato se apaixona loucamente e por causa de uma paixão repentina, causa a destruição de vidas? A atriz bonitona toma atitudes inconsequentes que prejudicam não só a ela como a todos a sua volta e o telespectodor deve ter isso como exemplo para si só porque ela seguiu a bela voz do coração? Acho que insesatez como essa não deveria servir de exemplo para ninguém.

No entanto, não é isso que acham os produtores das novelas globais, pois entra ano sai ano, as novelas não crescem em conteúdo. Dizem estar regadas de serviço público e esclarecimento, mas na minha opinião, trazem implicitamente (ou explicitamente mesmo) valores que só engrossam os maus hábitos da nossa sociedade. Entre outras coisas, vemos adultérios, bebedeiras e sexo banalizado, mas nenhum esclarecimento sobre o que faz bem ou não. Como a grande maioria dos telespectadores destas novelas não conseguem fazer o discernimento necessário e aceitam as cenas como reais, pensa-se "se a atriz da televisão faz, então não é tão mau assim..."

Eu temo por essas pessoas que absorvem qualquer tipo de informação, uma vez que os grandes canais de tv são manipulados e feitos para manipular. Somos todos os dias sequestrados pela moda e pelo comportamento da moça da TV. Agora me disseram que é legal ter um coração insensato e agir por instinto, sendo que eu sei que as pessoas mais sábias e bem sucedidadas que eu conheço usam a sua consciência como o seu maior guia.

Eu desejo aos que infelizmente não puderam se instruir, que ao menos verifiquem aquilo que assistem e não aceitem tudo assim, como verdade absoluta.

"Porque é de dentro, do coração, que vêm os maus pensamentos, a imoralidade sexual, os roubos, os crimes de morte, os adultérios, a avareza, as maldades, as mentiras, as imoralidades, a inveja, a calúnia, o orgulho e o falar e agir sem pensar nas conseqüências.Tudo isso vem de dentro e faz com que as pessoas fiquem impuras." (Marcos 7; 21-23)

22 de jan de 2011

Tente algo novo!

As festas de reveillon mal acabaram e nós já nos vemos entrando no fim do primeiro mês de janeiro. O ano de 2011 está a todo vapor e antes que cheguemos na metade do ano, eu gostaria de desejar para vocês um novo ano, de fato. Não só um novo calendário, nem novas roupas, com novas estampas. Eu gostaria de desejar a todos vocês novas perspectivas para verdadeiras mudanças.

Imagine que em todo início de ano o universo inteiro conspira para que nós tomemos novas atitudes na vida, mas ainda sim insistimos em ser as mesmas pessoas com mesmos maus hábitos, a mesma alimentação, a mesma preguiça e o pessimismo de sempre. Vemos os dias passarem e nos conformamos...

O que eu gostaria de propor é que ao invés disso, neste ano nós aproveitemos os bons fluídos e recomecemos de verdade, a vida! Se você sente muita dificuldade em fazê-lo então começe
pelas áreas em que você tem plena consciência de que não estão legais. Pode ser algo que te incomada há tempos e que você até agora não teve coragem de mudar. Eu te digo que nada é impossível e que se você acredita não existe hora mais propícia do que o agora. Comece criando metas, se perguntando se você sabe aonde quer chegar.

Se há tempos você se incomoda com o seu excesso peso, faça dieta, exercite o seu corpo e adote uma alimentação mais saudável(exercitar o corpo é uma boa dica para todos, pois um dia vamos sofrer as consequências de uma juventude sedentária). Se está desempregada e não sabe por onde começar, experimente ir à luta todos os dias, olhar classificados, fazer contatos. Nada cai do céu. Acredite em si mesma, faça cursos, nem que sejam os grátis! Se o seu relacionamento te coloca para baixo, então ame-se mais e procure alguém que te ame também e não ao contrário.Eu desejo mudanças na sua vida. E desejo amor também, principalmente um amor por você mesma!

Posso parecer clichê, mas não me importo em ser. Quando Deus falou que deveríamos amar aos outros como a nós mesmos, Ele nos deu uma receita maravilhosa, Ele disse: Ame-se. Cuide de si. Cuide de você, do seu corpo e da sua vida com respeito e zelo, porque assim estará me honrando e só assim poderá amar ao próximo.

Eu te desejo isto: um amor intenso por você mesma e que te faça mudar. Não uma mudança superficial, de promessas que fazemos à meia-noite do dia 31 de dezembro. Eu te desejo uma mudança revolucionária, que te faça querer fazer o melhor por você e fazer o melhor em tudo que se propor neste novo ano.

Que nós possamos aprender a mudar a nossa forma de nos relacionar também, sobretudo com Deus. Que nós possamos enxergá-lo de fato em nossa vida, em um relacionamento vivo, direto e pleno com o Pai. Que a nossa entrega seja VERDADEIRA, não só de palavras, mas que ultrapasse as músicas e os dias de domingo...

Mais do que tudo é isso que eu desejo!

18 de dez de 2010

E o direito à vida, onde fica?

Eu curso graduação em Serviço Social e comumente nas nossas conversas e debates em sala de aula surgem assuntos como a legalização do aborto no Brasil. Por ter uma linha marxista e lutar pelo indivíduo como detentor de direitos e, sobretudo, ter um olhar mais atento para as pessoas consideradas “minorias” em nossa sociedade, é normal esse tipo de discussão no âmbito do Serviço Social. Se é que posso afirmar isto – por estar a pouco tempo no curso – posso dizer que as diretrizes do Serviço Social me levam a acreditar que este seja a favor da legalização do aborto no Brasil.

Eu, como aluna, não sou. Embora ame o meu curso, amo mais ainda o que já aprendi na vida, longe das cadeiras acadêmicas. O fato de amar o meu curso e discordar de algumas de suas linhas de pensamento, só me reafirmam na decisão que tomei.

Quanto ao que aprendi longe das cadeiras acadêmicas, posso dizer que aprendi a dar mais valor à vida e a felicidade de viver. Ok, ok, que não se pode negar que milhares de mulheres no Brasil realizam abortos todos os anos; segundo estimativas do Ministério da Saúde, este número está entre 730 mil e 1,25 milhão de abortos, geralmente realizados por jovens entre 20 e 29 anos, que utilizam remédios comprados em farmácias.

Verificando superficialmente dados como esses, concordo que o aborto no Brasil seja um caso de saúde pública; um caso urgente que precisa ser reavaliado. Eu, como estudante de serviço social me posiciono a favor de políticas sérias de educação que esclareçam essas mulheres, uma vez que as estimativas mostram que a maioria delas estuda em média apenas oito anos. Eu defendo uma humanização na saúde, que tratem essas mulheres como seres humanos, já que muitas vezes são tratadas a sangue frio por muitos "profissionais" por aí que realizam abortos ilegais nos quintais de casa. No entanto, 0 que eu não posso defender é uma legislação que nos diga que uma mãe – mesmo na sua imensidão de limites – possa abortar a vida de um filho que gerou conscientemente.

Hoje, a legislação não pune as mães que abortam quando não há outro meio para salvar a sua vida ou quando a gravidez resulta de estupro. Como futura assistente social, acredito que a legalização total do aborto é como um paliativo para o problema da saúde pública no Brasil. Então a mulher engravidou e por que não tinha instrução suficiente, ou não tem condições de criar o seu filho, ela aborta! Essa é uma medida paliativa, que pode até funcionar por um tempo, mas não é o que precisamos. Precisamos de boas políticas, precisamos de um sistema de saúde que funcione, precisamos de pessoas de caráter nos meios públicos e na vida. Pensando assim, então deveria existir uma lei para se abortar o vírus do HIV, pois tem a mesma procedência e milhares de pessoas estão infectadas no Brasil. Onde está a preocupação com o ser humano quando faltam as medicações?

Sem tratar especificamente de partidos políticos, já que não tenho propriedade para isso, quero dizer que nós brasileiros deveríamos apoiar posturas que de fato defendam as minorias, mas não com leis ineficientes e cheias de sutilezas que favorecem mais a uns do que a outros. O que ninguém vê é que a raiz do problema está na falta de humanidade e no egoísmo do ser humano. Queremos uma lei que amenize os problemas da mãe, mas e o no ser humano que nasceria, ninguém pensa?

O que vejo no caso do aborto é uma polêmica, que ganha mais força ainda, uma vez que bate de frente com os princípios cristãos. Sou cristã e um dos motivos pelos quais eu sou contra a legalização do aborto, não é por que a mãe não será mais considerada criminosa se o fizer, na verdade é por que ela vai estar liberada para cometer o pecado que mais nos afasta de Deus. Já vemos mortes tão brutais todos os dias, em que filhos matam pais e pais matam os filhos, sem legalização, e ainda assim temos que engolir; não quero mais uma legislação como a que se propõe. Jesus Cristo é o caminho, a verdade e vida. Se você matar o seu filho, seja com um mês ou com um ano, vai estar na contra mão da liberdade e do verdadeiro amor.

Talvez você não concorde, porque princípios como esses infelizmente têm se tornado minoria nos nossos tempos... Por isso mesmo, então quero uma lei que me defenda!!

9 de dez de 2010

Não abra mão de ser livre!

Não faz muito tempo, percebendo o que diz a oração mais conhecida por nós - cristãos ou não - me dei conta de uma das muitas expressões que ela possui. Quando chamamos pelo Pai Nosso, na oração que Jesus nos ensinou, proferimos preciosidades que se quer percebemos. Um dia desses parei o Pai Nosso na metade e pensei...

Quando dizemos "Pai, perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido" será que estamos sendo realmente sinceros? Será que na imensidão das nossas mágoas, abrimos o coração e decidimos perdoar as ofensas dos que nos magoam?

Certa vez ouvindo os ensinamentos de uma amiga muito querida, absorvi o que ela me disse sobre o perdão de Deus. Assim como falaria com um amigo, ela me disse que eu poderia confessar a Deus qualquer um de meus erros; ela me disse que quando nos arrependemos de coração e pedimos perdão a Deus, Ele joga as nossas transgressões no mar mais profundo e de lá não tira jamais. Deus é rápido em nos perdoar; na verdade Ele só precisa da sinceridade do nosso coração. Se nós formos sinceros, nos arrependermos e pedirmos perdão, Ele nos perdoa!

Durante a conversa, a perguntei se Deus se lembrava dos nossos delitos, e ela me disse que não! Apesar de desagradarmos o seu coração com o nosso pecado, quando nos arrependemos, Deus não quer que nos lembremos do passado e também não fica nos lembrando. Ele perdoa e nos pede que não pequemos mais. Ele esquece!

Fiquei me perguntando, então, se nós, seres humanos, fazemos assim...

Será que nós jogamos nas profundezas do mar as ofensas que nos fazem, ou ficamos cobrando à pessoa que nos magoou que não faça de novo? Será que confiamos de novo, ou pensamos, "eu perdoo, mas olhe, comigo só faz uma vez"?

Já pensou se Deus fizesse o mesmo conosco? Se sua misericórdia não fosse eterna e se o seu perdão fosse proporcional a nossa disposição em perdoar? Se fosse assim, então estaríamos fritos! No entanto, Deus é bom e sua misericórdia dura para sempre. O que Ele nos pede, Ele próprio faz questão de deixar pistas na oração ensinada por Jesus. Ele quer que nós tenhamos um coração parecido com o Dele e que estejamos dispostos a perdoar, assim como Ele nos perdoa.

O Perdão é uma decisão e não um sentimento!Raramente sentiremos vontade de perdoar, mas precisamos, se quisermos agradar a Deus. Uma vez perdoada, a falha pode não ser esquecida (porque somos humanos), mas precisa ser jogada nas profundezas do mar e de lá não deve ser tirada.

Devido a circunstâncias da vida de cada um, talvez perdoar não signifique conviver com a pessoa que nos magoou, mas o perdão precisa existir. Só assim poderemos orar a oração ensinada por Jesus; só assim seremos livres ao acesso do coração de Deus.

"Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete." (Mateus 18; 21-22)

Somos imperfeitos e cheios de falhas, mas a misericórdia de Deus nos alcança.